gallery/cognet-testimonials

Voluntários do C.E.C.A.

 

Projeto Visita Fraterna

 

O PROJETO VISITA FRATERNA visa promover o desenvolvimento de valores morais, sociais e espirituais, levando a assistência espírita-cristã aos asilos, hospitais, orfanatos e congêneres, propiciando vibrações fraternas de amor, alegria, harmonia e paz. Contamos com sua presença! Qualquer dúvida entre em contato. helenice.queiroz@gmail.com

 

 

MANUAL DO VOLUNTÁRIO

 

O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos. (...).” - O Livro dos Espíritos, Questão 886.

 O PROJETO VISITA FRATERNA visa promover o desenvolvimento de valores morais, sociais e espirituais, levando a assistência espírita-cristã aos asilos, hospitais, orfanatos e congêneres, propiciando vibrações fraternas de amor, alegria, harmonia e paz.

 Acende a luz da experiência; promove autoeducação; desenvolve a criatividade, a cooperação e a noção de valor do tempo; imuniza contra os perigos do orgulho e vaidade;  dilata o sentimento de amor ao próximo; atrai simpatia e colaboração; extingue, a pouco a pouco demais tendências inferiores que ainda estejamos trazendo de existências passadas.

 

Ao se dispor a participar do Projeto Visita fraterna o voluntário faz-se conhecedor das seguintes orientações: 

Ser assíduo e pontual nos dias definidos para os encontros, reuniões, treinamentos e visitas.

Participar das atividades formativas (estudos, palestras, etc.) propostas no projeto, necessárias para manter a qualidade da tarefa dos voluntários.

Ouvir e ler atentamente todas as instruções para cumprí-las em todos os seus detalhes, sanando dúvidas e buscando orientações junto ao grupo.

Aceitar supervisão e orientação dos coordenadores pautadas na doutrina e nas diretrizes do projeto.

Recusar qualquer retribuição material que possa ser oferecida, seja do beneficiado, ou seja, de outras pessoas relacionadas com o seu trabalho.

Não utilizar o nome da organização para angariar fundos, pedir donativos ou obter qualquer tipo de regalias.

Respeitar o decoro no vestir e, quando necessário, vestir-se conforme estabelecido. (Utilizar sempre uniforme ou crachá em todas as atividades propostas.)

Manter atualizado endereço e telefone de contato (preencher a Ficha de Voluntários que será fornecida durante os recadastramentos).

Evitar comentários inconvenientes, censuras ou críticas ao grupo ou acerca das instituições visitadas.

Respeitar e cuidar dos recursos materiais colocados à disposição do grupo.

A captação de imagens em fotografia ficará a encargo de apenas de uma pessoa, a qual deverá tirar fotos apenas de situações em grupo, previamente autorizadas pela instituição.

O voluntário se dispor a levar um convidado na visita deve avisar com antecedência, passar-lhe todas as orientações necessárias e responsabilizar-se pela conduta desta pessoa.

Todas as funções serão desempenhadas com humildade, sentido de generosidade e bem comum.

 Deve-se manter uma atitude de colaboração permanente entre os próprios voluntários e, desta forma, ter em mente que todo serviço executado é antes de tudo uma oportunidade de aprendizado, onde cada um utilizando dos seus dons e capacidades, ajuda a construir uma era de renovação moral e espiritual.

O voluntário para participar das visitas, faz-se cumpridor de todas as orientações contidas neste Manual.  

 

 

PROJETO VISITA FRATERNA

 I. JUSTIFICATIVA

O PROJETO VISITA FRATERNA visa promover o desenvolvimento de valores morais, sociais e espirituais, levando a assistência espírita-cristã aos asilos, hospitais, orfanatos e congêneres, propiciando vibrações fraternas de amor, alegria, harmonia e paz.

 

II. OBJETIVO GERAL
O PROJETO VISITA FRATERNA visa promover o desenvolvimento de valores morais, sociais e espirituais, levando a assistência espírita-cristã aos asilos, hospitais, orfanatos e congêneres, propiciando vibrações fraternas de amor, alegria, harmonia e paz.

 

III. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Visitar hospitais, asilos, casas assistenciais e orfanatos, levando consolo, esperança e alegria através de passes, conversas amigas e recursos materiais necessários, tais como: doação de alimentos, roupas, objetos de higiene pessoal, etc.

Trabalhar a humanização, promovendo atividades sociais relacionadas ao desenvolvimento humano moral e espiritual.

Propiciar o aprimoramento íntimo dos voluntários pela vivência prática dos ensinamentos do Evangelho.

Promover a motivação e a integração entre os trabalhadores e freqüentadores da Casa Espírita, e entre estes e suas famílias, fortalecendo os laços de amor e fraternidade.
 

IV. METODOLOGIA/DESENVOLVIMENTO 
As visitas serão realizadas mediante programação a ser divulgada através do endereço eletrônico www.caminheirosdoamor.org. As datas e horários das visitas serão afixadas de acordo com a disponibilidade de cada instituição.
Serão promovidos encontros frequentes para reunião e treinamento dos voluntários visando a integração e desenvolvimento do grupo.
 

V. REQUISITOS

Estar vinculado ao Centro Espírita Caminheiros do Amor;

Estar vinculado aos grupos de Estudo Doutrina Espírita na instituição;

Atender as normas de conduta da Casa e do Projeto Visita Fraterna;

Respeitar o cumprimento dos horários estabelecidos para as atividades, sendo assíduo e pontual.

Frequentar treinamentos, reuniões e encontros de voluntários para troca de experiências, assimilação de conhecimentos e informações.

Respeitar a disciplina das instituições visitadas;

Cultivar bons hábitos.


RESPONSÁVEIS VOLUNTÁRIOS
Arif de Paula Botelho
Helenice Luzia de Queiroz


VI. SUBSÍDIOS

A CARIDADE SEGUNDO O APÓSTOLO PAULO
"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine".
"E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria."
" E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria".   "A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; não trata com leviandade; não se ensoberbece".
"Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade".
"Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta".
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade. Mas a maior destas é a caridade" ( Paulo, I Coríntios, cap. XIII, vers. 1 ao 13).

 

 

 

gallery/meninos2